Associação do portador de doença de chagas promove ação em alusão ao dia de combate a doença

Para celebrar o Dia Mundial de Combate à Enfermidade de Chagas, a Associação Pernambucana dos Pacientes com Doença de Chagas (APDCIM), juntamente, com a secretaria de saúde do Estado de Pernambuco, realizará, na próxima terça-feira (16/04), o VI Encontro da Praça (Espaço Carlos Chagas), intitulado de “Chagas um grande coração” em frente ao Pronto Socorro Cardiológico Universitário da Universidade de Pernambuco (Procape/UPE). O evento acontece das 7h às 15h e será voltado à população em geral, como forma de divulgar informações a respeito da doença de Chagas.

Funcionários do ambulatório de Chagas e voluntários da associação estarão presentes, distribuindo panfletos informativos e esclarecendo dúvidas. Além disso, uma unidade móvel da SES-PE, estará disponibilizando testes para hepatite C, sífilis, busca de casos de hanseníase e casos de tracoma e outros.

Paralelamente, na Casa de Chagas, ambulatório anexo do Procape/UPE que abriga o Ambulatório de Chagas e a Associação de Pacientes, será oferecido um café da manhã, momento de confraternização, entre os pacientes em atendimento. Um ciclo de conversa na sala de espera da Casa também está dentro da programação.

APDCIM - A associação, pioneira no mundo, tem estimulado a criação de novas associações, em países endêmicos e não endêmicos para a doença de Chagas participando ativamente da fundação e condução da Federação Internacional de Associações de Pessoas Afetadas pela Enfermidade de Chagas/FINDECHAGAS, em 2010.

As associações, filiadas à FINDECHAS, escolheram o dia 14 de abril como "Dia Mundial de Combate à Enfermidade de Chagas", por ter sido o dia em que o pesquisador brasileiro, Dr. Carlos Chagas, há 108 anos, comunicou sua descoberta à comunidade científica da época. Ficou, portanto, o dia 14 de abril como data de alertar sobre a grave problemática da doença de Chagas no mundo.

SOBRE A DOENÇA- estima-se que hoje há cerca de 100 milhões de pessoas sob risco de infecção, dos quais apenas 10% tem acesso ao diagnóstico, com 200 mil novos casos a cada ano e 20 mil mortes decorrentes da doença. Com esses dados alarmantes, ações proativas e permanentes devem ser implantadas e implementadas com a finalidade de impedir o surgimento de novos casos da doença. 

Pernambuco, um dos estados brasileiros endêmicos para a enfermidade, através do Programa SANAR, da Secretaria Estadual da Saúde, conjuntamente com o Ambulatório de Referência para Doença de Chagas/ PROCAPE-UPE, desenvolvem ações que tem possibilitado o diagnóstico precoce, o tratamento integral, a descentralização do atendimento e a educação em saúde.

A Doença de Chagas, ainda considerada dentre as negligenciadas, constitui um grave problema de saúde pública para a América Latina, com repercussão mundial. Ao contrário do que se pensa, ainda não foi totalmente controlada. É causada pelo Trypanosoma cruzi e as formas de transmissão de maior importância epidemiológica são a vetorial através de insetos hematófagos, os triatomíneos (barbeiros), a transfusional, a congênita e a oral. A globalização com os movimentos populacionais aumenta o potencial de disseminação da enfermidade para países não endêmicos, especialmente naqueles onde não é feita a triagem sorológica em bancos de sangue e em órgãos e tecidos doados.